domingo, 31 de agosto de 2008

Viver imperativo


(Foto: Anderson Clayton/G1)
Crê
Nem toda promessa é falta
Nem todo crime é pena
Nem toda dor mata...


Na pauta da areia fina
No olho desta tormenta serena
No espelho d’água da retina...


Para a montanha, o vulcão
Para o silêncio, o grito
Para o frio de Agosto, o verão...


Que a roleta permanece rodando
O músculo persevera hirto
E eu continuo voltando...
.
.
.

8 comentários:

Lidiane disse...

Adon querido.

Eu creio.
Eu leio
E eu sou, mesmo sem saber o quê.
Talvez seja o que creio e o que leio.
Ou a montanha, o silêncio e o agosto.

Um beijo pra você com saudades.

Tamara disse...

E eu continuo rodando.. rodando... rodando...

Crendo, lendo, sendo e vendo...

....
Anotei no caderninho do coração:

No espelho d’água da retina.

B-joletas

LÉA MARTINS disse...

Como é bom ler vc, vendo tuas imagens, crendo em tuas palavras, sendo tua fã!

bjs / Léa

edson marques disse...

Adão,

Teus versos exalam concisão e beleza.


Você tem o poder da síntese.


Abraços, flores, estrela..

Rossana disse...

Amigo.. e é essa a lei da vida.. e vamos caminhando.. seguindo o curso.
Saudade.
Te amo!

POESIA DO BELO disse...

A proposta dos Blogs literários é a de construir um exército de soldados da palavra ritmada, bem treinada, arrojada. A literatura cibernética forma um esquadrão que presta continência ao contemporâneo meio de ler. Ataquemos os inimigos com nossa munição de idéias.

Blog do Belo
www.belopoema.blogspot.com

Palavras Atropeladas disse...

Querido,

Alterei a url do meu blog.

B-joletas violetas

Van disse...

Saudades.
Beijucas

Postar um comentário

As opiniões aqui postadas são de responsabilidade de seus autores. O Autor do blog somente se responsabiliza pelo conteúdo publicado e assinado pelo próprio.