domingo, 28 de janeiro de 2007

(Des)informativo dominical


Esta é uma historinha que escutei logo quando me interessei por computadores. É portanto antiga, mas também muito boa.

Estavam quatro amigos dirigindo pela estrada , numa madrugada chuvosa, de volta às suas casas depois de uma farra daquelas. Devido ao avançado da hora era senso comum de que o motorista deveria acelerar, mesmo apesar da chuva...

De tanto forçar o veículo, ficaram a pé num determinado trecho da estrada, em meio ao nada com lugar nenhum.

O motorista abriu o carro e mergulhou naquele emaranhado de aço e cabos, e depois de algum tempo, desistiu... Estava tudo em ordem, não havia motivo para o carro parar!

Seus três amigos se apavoraram com a possibilidade de passar a noite naquele fim de mundo e usando a experiência que hauriram de suas profissões, partiram para a luta, na tentativa de diagnosticar e resolver o problema.

O primeiro, engenheiro mecânico, verificou todas as engrenagens internas e externas do veículo, radiografou cada parte e nada encontrou que justificasse o enguiço...

O segundo, eletricista, atacou toda a parte elétrica do carro, mexeu e remexeu nos fios, mergulhou naquele emaranhado como quem procura objeto raro. Contudo, também nada conseguiu...

O terceiro, técnico em informática (e ele fez questão de ser o último a tentar), chegou displicentemente perto do carro, olhou o veículo de um lado ao outro, deu algumas voltas ao redor, com o ar de quem estava escolhendo verduras no supermercado. Passado alguns instantes, pediu para o amigo ligar a chave. Então, inesperadamente, o terceiro homem deu um pontapé na traseira do carro, que funcionou imediatamente...

Lembrei-me desta história devido à minha empreitada de colocar som aqui no blog. Como uma parte dos que aqui vem perder um tempinho comigo não conseguiu ouvir o som, saí em campo, procurando saber o porquê do problema e se havia jeito de solucionar.

Como vocês bem sabem, e eu descobri agora, as músicas que servem de fundo aos sites, blogs, ou congêneres, são em sua grande maioria no formato MIDI (Musical Instrument Digital Interface) em que são arquivados os sinais e não os sons propriamente ditos. Estes sinais são interpretados e executados à forma da música original, graças ao trabalho da placa de som.

Existem placas de som que não interpretam estes sinais, ou seja, não lêem o formato MIDI. Este é o motivo pelo qual algumas pessoas escutam a música aqui do blog, e outras, não. Para maiores informações e até mesmo soluções alternativas, clique aqui.

E para não dizer que eu não penso em vocês, agora a música não carrega mais junto com a página, e somente quando é clicado o "play" do tocador, que eu inseri para oferecer uma opção para quem, p. ex., prefere a "música do silêncio".

Espero ter esclarecido algo e ajudado um tanto. Na dúvida, sempre resta o pontapé providencial...





No próximo dia 30, comemora-se o "Dia da não violência", e o blogueiro Lino Resende convida a todos para uma blogagem coletiva sobre o assunto. Em momento tão significativo como o que vivemos, em que os valores estão completamente invertidos e o nosso cotidiano está cada vez mais violento, em todos os sentidos, trata-se de iniciativa legítima e oportuna e como a "Paz" é construída por cada um, todos os dias, darei minha contribuição com um post, nesta data.

16 comentários:

Lidiane disse...

Primeirona.
:P
(não canso de dizer isso)

"Frehr".

Minha placa "escuta" midi, mas continuo não ouvindo a *sua* musiquinha.
Eu ouço em outros blogs, menos aqui.
É discriminação comigo só porque não sou "framenguista", é?
:/

Gostei da história, mas você ainda me deve outra.
Aliás, essa coisa de pontapé me fez lembrar uma piadinha:

Software é aquilo que você xinga.
Hardware é aquilo que você chuta.
:P

Beijo.

LÉA MARTINS disse...

Adão,

Adorei a história. Será que vc está precisando de suporte técnico especializado??

risos

Quero ler o post sobre a paz!

sds / Léa

ALEX FERREIRA disse...

Caro Adão,

Escutei sem problemas o som de fundo.
Parabéns pela participação em prol da paz. Estamos deveras precisando!

forte abraço,

ANA PAULA disse...

Adão,
eu não consegui ouvir a música. Mas li o texto, ri muito e aprendi um pouco sobre formatos de som... apesar de achar que não irá servir muito para mim. .. rsrsrs

um beijo

Rê disse...

O seu blog tá show...

parabéns, bjssssssss

ANA SEABRA disse...

Adão,
Não entendo muito sobre Midi ou placas de som, nunca fui muito inclinada para isso. Mas adorei a sua historinha, ri muito, estou copiando para alguns amigos que trabalham com sistemas...

Continuo escutando o som , sem problemas... e o post sobre o Tom??

beijo

Eliana disse...

Oi Adão,não entendi bulhufas da explicação e nem adianta repetir. Quando meu adolescente chegar (o manual de todos os meua aparelhos)peço pra ele traduzir pra mim hehe... Não ouço a música, não faço a menor idéia do tipo de placa que tem aqui,mas gosto de silêncio também! Pensei em me oferecer para dar o tal chute na máquina, mas achei que não combina com o dia da não violência! Quem sabe mês que vem... Se precisar, é só chamar!
Beijosss

BEATRIZ MENDES disse...

Boa lembrança, a do dia da "Não violência"!!! Parabéns a você e ao Lino!!!!

Beijos
Bia

LORENA disse...

Adão,
Muito engraçada esta história. Eu me diverti com ela.

Espero pelo seu post sobre o dia da não violencia, ótimo tema!

beijos

MARCELO disse...

Nada como uma história bem-humorada! Pobres dos analistas de sistemas, técnicos de informática!

E muita paz para todos nós!

Abs

Sheherazade disse...

Adão,
Eu, na qualidade de enxerida e analfa-mãe-de-pai-e-beta na área da internáutica, só tenho que louvar o seu progresso (costumo começar com o pontapé ...rsrsrsrs). Tô aqui no Rio e arranjei uma forma de acessar os amigos, mas não prometo ser muito presente porque aqui o PC é disputado à tapa. Lamento, por isso, não poder participar da blogagem sobre a NÃO VIOLÊNCIA, pois este é um tema que tem me preocupado bastante e gostaria de fazer algo de efetivo a respeito.

Um beijo!

Sheherazade disse...

Adão,
Eu, na qualidade de enxerida e analfa-mãe-de-pai-e-beta na área da internáutica, só tenho que louvar o seu progresso (costumo começar com o pontapé ...rsrsrsrs). Tô aqui no Rio e arranjei uma forma de acessar os amigos, mas não prometo ser muito presente porque aqui o PC é disputado à tapa. Lamento, por isso, não poder participar da blogagem sobre a NÃO VIOLÊNCIA, pois este é um tema que tem me preocupado bastante e gostaria de fazer algo de efetivo a respeito.

Um beijo!

Sheherazade disse...

Não te disse que sou uma "nerd" nesse assunto? Acabei clicando duas vezes e repetindo o comentário ... hehehehehehe!!!

Tamara disse...

Chutar? Eu queria arremessar e fazê-lo MICRO de pedaços. Mas antes que eu o fizesse a PAZ invadiu o meu coração. Ou seja, ouvi a música {como também havia ouvido a anterior!}.

Saudade de você no blog.

B-joletas.

Tamara disse...

PS: A figura é bem sinixtra, será esta dimensão a do teletransporte {risos}?

CRISTIANE LINS disse...

Eu ouvi a música, li o texto, vi o filme, li o livro.... tudo o que tinha direito...

Adorei teu post!

beijos
Cris

Postar um comentário

As opiniões aqui postadas são de responsabilidade de seus autores. O Autor do blog somente se responsabiliza pelo conteúdo publicado e assinado pelo próprio.