domingo, 26 de novembro de 2006

O tolo motivo da rosa



E por perder-me é que vão me lembrando,
por desfolhar-me é que não tenho fim.

(O 4º motivo da rosa, Cecília Meireles)
Em nenhum momento
falei-te de minhas agonias
mas trago comigo algumas feridas
Se o que feriu não foram
os espinhos
Se o que abriu não foi
o botão

Em tempo marcado
tentei ceifar-te de minhas entranhas
fugi do abrigo e transpus as medidas
Se o que desfolhou não foram
as pétalas
Se o que exalou não foi
o perfume

E deixando de ser assim,
também vou existindo
imotivada pelo tolo motivo
Se o que me ceifou não foi
ao acaso
Se o que me tocou não foi
sem amor
***
Em Novembro, comemorou-se 105 anos de nascimento de Cecília Meireles e também, 42 anos de sua morte. Este post faz, portanto, pequeno tributo à grande poetisa.

18 comentários:

Vera Fróes disse...

Adão, que coincidência em postarmos uma rosa. Pena que vc não participou da blogagem coletiva que fizemos em homenagem a grande poetisa. Mas sempre vale a pena ler
Cecília Meireles.

Bom domingo.
Bjos.

Lidiane disse...

Adão.

Com toda honestidade.
Lembra quando eu disse do meu "enjôo" por poesia? E, que só gosto de poucas coisas?

Eu, sinceramente, gostaria de ter escrito essa.

Beijo.

Tamara disse...

Estou sem palavras.

Na verdade, ainda não terminei de processar tudo. As idéias estão girando tão rapidamente e sem ordem.

Quando eu terminar eu volto.

Mas, adianto-lhe: LINDO. Simplesmente, lindo!

B-jinhos, boa semana.

Rossana Monteiro disse...

Eu canto porque o instante existe
e minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Bom dia meu querido amigo...

LÉA MARTINS disse...

Noooossaa!!!! QUe lindo, Adão!!!! vc não tem noção de quanto eu gostei deste poema!!!!
"Eu vejo flores em você!!!"


bjssss!!!!

BEATRIZ MENDES disse...

Adão,
É um prazer renovado vir aqui te ler. E voltou inspirado, que coisa mais bela!!! Estou copiando, tá? com os devidos créditos, lógico!!

Beijos,
Bia

Eliana disse...

Viver deve ser naturalmente...
Assim não há o que temer!
Só a vida!
Belo poema!
Beijos e beijos...

ANA SEABRA disse...

Adão,
Estou sem pralavras, em face desta beleza de texto. Poema autêntico de poeta raro!

Beijos!

ALEX FERREIRA disse...

Adão,
Cecília Meireles é mesmo especial. Nós brasileiros temos o privilégio de tê-la escrevendo em nossa língua.
Excepcional homenagem a sua.

Forte abraço

ALEX FERREIRA disse...

Adão,
ou melhor: tivemos o privilégio...

Jôka P. disse...

Infelizmente nunca consegui gostar de poesia.
Acho chato.
Em todo casdo, pra quem gosta essa poetiza deve ser ótima !
Abç !

CRISTIANE LINS disse...

Adão! Eu só estou passando para deixar um beijinho e sentir o perfume desta linda rosa. Perfume de poesia!

Beijinhos,
Cris

ANA PAULA disse...

É tão emocionante ler algo tão profundo e delicado ao mesmo tempo. Cada dia mais gosto mais do que vc escreve. Por que será????

Boa quarta! beijos.

LORENA disse...

Iluminado poema, Adão! Homenagem à altura da poetisa.
Com carinho,

SAMARA DIAS disse...

E me junto ao coro para apreciar este lindo poema!

Beijos

Tamara disse...

Voltei!

E se somos nós quem causamos a nossa própria ferida?... Se não foram os espinhos, é possível atenuar a agonia?

E quando somos prisioneiros da nossa própria mente?... É possível me desprender da alma? Fugir? Ultrapassar-me? É possível?

Deixando de ser assim eu vou me perdendo. Deixando de ser assim terei que procurar um corpo novo {será que há anúncios no jornal?} para habitar. Viverei a esmo. Não serei Tamara!... Mas continuarei amando as rosas e o perfume delas.

.....
Causou-me toda esta reflexão e um bocado mais.

R E P I T O: uma preciosidade.

B-jinhos.

Tamara disse...

Confesso que está meio confuso... É porque mergulhei na profundidade do eu!

LÉA MARTINS disse...

E eu voltei para ler mais uma vez esta jóia que vc esculpiu!

bjs, bom domingo!

Postar um comentário

As opiniões aqui postadas são de responsabilidade de seus autores. O Autor do blog somente se responsabiliza pelo conteúdo publicado e assinado pelo próprio.