quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Claríssima


Reflections on the sea I, Dan Werner


Pouca gente sabe, mas nasci em Salvador e lá fui criado durante grande parte de minha infância. Depois vim para o Rio de Janeiro e permaneço até hoje, mas guardo enternecidas lembranças de minha terra natal. Como as que suscitaram os versos a seguir:
...
..
.
Alvíssima luz derramada
por capricho
do sol que prenuncia
outra estação
no seio desta
claríssima manhã

Viajo por linhas retas
e intermitentes
que passam por verdejantes vales
e montanhas imponentes
em perfeita comunhão...
-perfeitos Yin e Yang!

Aonde chegarei,
finjo ignorar
e garimpo palavras respingadas
do transbordamento
desta luz matinal...
-imperfeitos traço e forma!

Sob o céu sem nuvens
não me movo mais
repleto de cálculos e angustias

Movo-me como o menino que fui
em algum distante canto da memória,
em Salvador,
soltando pipa, jogando bola,
brincando na grama...
alegria plena de volúpia!

Em seu colo
descanso a fronte,
encontro o afago
e chego

a este lago sereno, este riacho caudaloso,
esta região desconhecida
que alguns chamam de lembrança...

Mas este oásis perene, este remanso recôndito,
este jardim florido,
- madrigal -
obra de divino cultivador,
não está situado em nenhum lugar,
e nunca saiu de onde está...
.

.


Amanhã, celebra-se o Blog Day. Dia dos blogs. Visa promover o nosso universo através da indicação de cinco diferentes blogs em um post que deve ser publicado nesta data. Numa época de contrapropaganda boçal da parte de meios de comunicação que em paradoxo ao seu real propósito, tem medo da informação democratizada, acho muito importante a participação de todos nós, que fazemos parte desta "blogosfera".

11 comentários:

Rossana disse...

É...
Por isso vc não nasceu. Estreiou!!!!!!!!!!!!!!!

YESSSSSSSSSSSSSSSSS hehehehe
Meu querido.. sempre um prazer ler seus textos e uma honra ser sua amiga.

Te adoro tantão, viu???

Vou lá no outro post comentar. Redimir minha tão grande culpa da ausência.

Beijo

Joice Kelly disse...

bela poesia encontrei aqui! vezes!

SAMARA DIAS disse...

Querido,
Quanta inspiração junta em você!
tenho orgulho, sabe?

Vou fazer como a Rossana e ir no outro post, para me redimir!

Bjs

Lidiane disse...

Adon, conterrâneo do meu corazón, não nascemos, estreiamos pro mundo!
Nhé!

Hoje estava pensando em Salvador.
No cheiro da cidade: de dendê, de sol e de mar.
Saudade que chega a doer.
Preciso voltar pra pedir bênção a Yemanjá. Preciso voltar pra recarregar a bateria da minha alma trincadinha pelo ar de Sampa.

Beijos, saudades.

P.S. Beijo nos meninos e na fofinha.

BEATRIZ MENDES disse...

Da sua baianidade eu já sabia desde a faculdade, só não sabia naquela época que escrevia tão bem!

Lindo poema!

Beijo
Bia

LÉA MARTINS disse...

Ó paí, ó!!!!!!!!!!
Você viu o filme? Eu adorei!!!

Um cheiro para vc!

bjs / Léa

ANA PAULA disse...

Adão,
Este é um dos meus favoritos! A memória que não está situada em nenhum lugar e nunca saiu de onde está, é uma imagem perfeita!

Beijo

Lorena disse...

Adão:
vou recorrer ao lugar comum: Claríssima é belíssima!

um bom final de semana.

CRISTIANE LINS disse...

Adão,
Poesia de uma sensibilidade à flor da pele.
Amei, mais uma vez.

Bjos

ANA SEABRA disse...

ô meu rei, estes teus versos estão bonssss demaissssss!!!

É prá ler com o sotaque, tá? rs

SILA GÓES disse...

Adão,
As lembranças da infância são algumas das melhores coisas desta vida. E você traduziu as suas tão lindamente.

beijos

Postar um comentário

As opiniões aqui postadas são de responsabilidade de seus autores. O Autor do blog somente se responsabiliza pelo conteúdo publicado e assinado pelo próprio.