quarta-feira, 2 de agosto de 2006

Retrato da artista quando jovem

E as horas
dançavam altas, esguias,
com ritmo e maestria
e embaladas pendiam do colo
da madrugada

E os desejos num frêmito,
e as frustrações num vômito,
confundiam-se com as badaladas
trôpegas do relógio na noite
desnudada

Eis a escuridão,
mãe de todos os escondedouros,
que revela, numa centelha ínfima,
emolduradas de luz,
duas órbitas enluaradas...

E os olhos,
oh, os olhos!
irrompiam brilhantes, pérolas
castanhas e hipnóticas
a mirarem com sofreguidão
- e decisão - para o futuro

E o futuro para a jovem de vinte e um anos
é apenas mais um porto a apartar-se
em tênue embarcação de ambições e sonhos

E o futuro para a artista tão menina
e tão mulher, então será:
uma massa a ser moldada,
uma tela a ser preenchida,
uma folha a ser escrita
uma vida a ser vivida !

Eis a face caleidoscópica
que afirma-se serena nos contornos
singulares de seus traços
retilíneos e angulares
emoldurada pela noite fechada
e selvagem dos cabelos

E o sorriso inaudito
esconde contrito, a felicidade exuberante
dos dentes, desejo e alegria latentes
franqueado aos diletos mais chegados
e no semblante, a seriedade de
quem quer gargalhar...

E os lábios de alvorecer
róseos e fartos,
abrem-se de um jeito só seu
como quem beija ou faz uma prece,
para o dia amanhecer
e a claridade da manhã
desvelada, revelar sua alva tez...

E o seu corpo longilíneo não
precisa das palavras,
mas dos demais sentidos:
audição, tato e paladar,
lábios, língua, braços, unha
e o cálido encaixe
de outro coração junto a si...


Mas as palavras, oh, as palavras!

As palavras, atropeladas
pela emoção e embaralhadas
nas brumas da noite-manhã,
jazem enfileiradas, aprumadas no papel
e calam embargadas e inertes
nos lábios do poeta...

(4 tamy 4ever)

5 comentários:

Tamara disse...

SURPREEESA!

QUE FELICIDADE, QUE COISA MAIS LINDA!

O MEU CORPO INTEIRO SORRI. ESTOU SORRINDO ATÉ COM OS OLHOS...


ADÃO,

você é lindamente especial. O encantamento de todas as coisas é seu.

B-jos estalados no coração.

LÉA MARTINS disse...

Adao,
eu já estava com saudades de seus versos. Fazia um tempinho sem nenhum poema, né?

Lindo, lindo mesmo!!!

sds / Léa

ALEX FERREIRA disse...

Caro adão,
O título é de Joyce, mas os seus versos são originais!

forte abraço,

Jôka P. disse...

Obrigado pela visita, por suas palavras e pela força, Adão !
Fico feliz, vindo de um escritor tão talentoso como você.
Valeu !
Abç,
Jôka P.

Lidiane disse...

E eu que pensei que você fosse prosa.
É também poesia...

Beijo, poeta.

Postar um comentário

As opiniões aqui postadas são de responsabilidade de seus autores. O Autor do blog somente se responsabiliza pelo conteúdo publicado e assinado pelo próprio.